Escolha uma Página
Ilustração: Sobre um fundo branco, silhuetas coloridas da sigla MAC – as letras tem formas geométricas que se fundem em hastes, formas triangulares e arredondadas. A sigla MAC tem predominância das cores amarelo e rosa com efeito degrade para as cores laranja e fuccia. Abaixo de forma justificada em letras pretas Mostra de Artes e Acessibilidade.

TODAS AS ATRAÇÕES desta página CONTARÃO COM AUDIODESCRIÇÃO

Símbolo referente a audiodescrição. Quadrado azul com as letras AD e 3 linhas curvas na vertical em seguida.

Librando Histórias – A cigarra e a formiga

Projeto “Librando Histórias” (contação de histórias em Língua Brasileira de Sinais) Associação de Atenção ao Deficiente Auditivo e ao Surdo (AADAS). Criado em 2016, tem repertório que une contação de histórias e Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Por meio da interação entre surdos e ouvintes, as apresentações buscam valorizar a riqueza que é compreender uma língua não falada, explorando os conceitos da cultura surda. Quatro jovens surdos se revezam na contação de histórias apoiados por um intérprete de LIBRAS. O repertório tem cerca de 10 histórias, entre contos clássicos, fábulas e contos populares.

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Ficha técnica resumida:
Direção: Coordenação técnica da AADAS
Duração: 30 minutos (Aprox)
Classificação: livre

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Librando Histórias – A cigarra e a formiga

Projeto “Librando Histórias” (contação de histórias em Língua Brasileira de Sinais) Associação de Atenção ao Deficiente Auditivo e ao Surdo (AADAS). Criado em 2016, tem repertório que une contação de histórias e Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Por meio da interação entre surdos e ouvintes, as apresentações buscam valorizar a riqueza que é compreender uma língua não falada, explorando os conceitos da cultura surda. Quatro jovens surdos se revezam na contação de histórias apoiados por um intérprete de LIBRAS. O repertório tem cerca de 10 histórias, entre contos clássicos, fábulas e contos populares.
Ficha técnica resumida: Direção: Coordenação técnica da AADAS Duração: 30 minutos (Aprox) Classificação: livre

Librando Histórias – A ovelha da Dona Rosa

Projeto “Librando Histórias” (contação de histórias em Língua Brasileira de Sinais) Associação de Atenção ao Deficiente Auditivo e ao Surdo (AADAS). Criado em 2016, tem repertório que une contação de histórias e Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Por meio da interação entre surdos e ouvintes, as apresentações buscam valorizar a riqueza que é compreender uma língua não falada, explorando os conceitos da cultura surda. Quatro jovens surdos se revezam na contação de histórias apoiados por um intérprete de LIBRAS. O repertório tem cerca de 10 histórias, entre contos clássicos, fábulas e contos populares.

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Ficha técnica resumida:
Direção: Coordenação técnica da AADAS
Duração: 30 minutos (Aprox)
Classificação: livre

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Librando Histórias – A ovelha da Dona Rosa

Projeto “Librando Histórias” (contação de histórias em Língua Brasileira de Sinais) Associação de Atenção ao Deficiente Auditivo e ao Surdo (AADAS). Criado em 2016, tem repertório que une contação de histórias e Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Por meio da interação entre surdos e ouvintes, as apresentações buscam valorizar a riqueza que é compreender uma língua não falada, explorando os conceitos da cultura surda. Quatro jovens surdos se revezam na contação de histórias apoiados por um intérprete de LIBRAS. O repertório tem cerca de 10 histórias, entre contos clássicos, fábulas e contos populares.
Ficha técnica resumida: Direção: Coordenação técnica da AADAS Duração: 30 minutos (Aprox) Classificação: livre

Librando Histórias – O quebrador de pedras

Projeto “Librando Histórias” (contação de histórias em Língua Brasileira de Sinais) Associação de Atenção ao Deficiente Auditivo e ao Surdo (AADAS). Criado em 2016, tem repertório que une contação de histórias e Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Por meio da interação entre surdos e ouvintes, as apresentações buscam valorizar a riqueza que é compreender uma língua não falada, explorando os conceitos da cultura surda. Quatro jovens surdos se revezam na contação de histórias apoiados por um intérprete de LIBRAS. O repertório tem cerca de 10 histórias, entre contos clássicos, fábulas e contos populares.

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Ficha técnica resumida:
Direção: Coordenação técnica da AADAS
Duração: 30 minutos (Aprox)
Classificação: livre

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Librando Histórias – A ovelha da Dona Rosa

Projeto “Librando Histórias” (contação de histórias em Língua Brasileira de Sinais) Associação de Atenção ao Deficiente Auditivo e ao Surdo (AADAS). Criado em 2016, tem repertório que une contação de histórias e Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Por meio da interação entre surdos e ouvintes, as apresentações buscam valorizar a riqueza que é compreender uma língua não falada, explorando os conceitos da cultura surda. Quatro jovens surdos se revezam na contação de histórias apoiados por um intérprete de LIBRAS. O repertório tem cerca de 10 histórias, entre contos clássicos, fábulas e contos populares.
Ficha técnica resumida: Direção: Coordenação técnica da AADAS Duração: 30 minutos (Aprox) Classificação: livre

Solo teatral “Memórias Perdidas – A noite que se aproxima” – com Simone Sobreda

Sinopse: Um espetáculo sobre memórias reais ou ficcionais e a perda dessas lembranças em decorrência do Alzheimer. O projeto proposto pela atriz Simone Sobreda, com a direção de Caren Ruaro e dramaturgia de Rogério Guarapiran, tem o propósito de tocar as pessoas por meio da arte e trazer a reflexão dos sintomas desse tipo de doença e, também chamar a atenção para a invisibilidade dos idosos na sociedade. No espetáculo, conforme a atriz manipula alguns objetos, algumas memórias vêm à tona trazendo questões sobre as mulheres que são ensinadas a cuidar de tudo e de todos desde a infância, como avós, mães, filhas e noras. A peça trata também da síndrome do ninho vazio, da perda de um filho e o quanto isto pode acarretar para a saúde de uma mãe. Além disso, falamos de sintomas, de cuidados e de políticas públicas relacionadas aos pacientes e aos familiares cuidadores desses pacientes com Alzheimer.

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Ficha técnica resumida:
“Memórias Perdidas – A noite que se aproxima”
Cia da Entropia
Direção: Caren Ruaro
Dramaturgia: Rogério Guarapirã.
Atuação: Simone Sobreda;
Duração: 60min
Classificação: livre.

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Solo teatral “Memórias Perdidas – A noite que se aproxima” – com Simone Sobreda

Sinopse: Um espetáculo sobre memórias reais ou ficcionais e a perda dessas lembranças em decorrência do Alzheimer. O projeto proposto pela atriz Simone Sobreda, com a direção de Caren Ruaro e dramaturgia de Rogério Guarapiran, tem o propósito de tocar as pessoas por meio da arte e trazer a reflexão dos sintomas desse tipo de doença e, também chamar a atenção para a invisibilidade dos idosos na sociedade. No espetáculo, conforme a atriz manipula alguns objetos, algumas memórias vêm à tona trazendo questões sobre as mulheres que são ensinadas a cuidar de tudo e de todos desde a infância, como avós, mães, filhas e noras. A peça trata também da síndrome do ninho vazio, da perda de um filho e o quanto isto pode acarretar para a saúde de uma mãe. Além disso, falamos de sintomas, de cuidados e de políticas públicas relacionadas aos pacientes e aos familiares cuidadores desses pacientes com Alzheimer.

Ficha técnica resumida:
“Memórias Perdidas – A noite que se aproxima”
Cia da Entropia
Direção: Caren Ruaro
Dramaturgia: Rogério Guarapirã.
Atuação: Simone Sobreda;
Duração: 60min
Classificação: livre.

Teatro de bonecos (teatro lambe-lambe) “Miragens na Caixa”

Sinopse: “Miragens na Caixa” é um projeto com foco no teatro de animação que traz em cena bonecos em miniaturas. Inspirada nos antigos fotógrafos lambe-lambe, a iniciativa traz espetáculos de curta-duração feitos em caixas, que geralmente são realizados em sessões com um espectador por vez. Serão contadas quatro histórias sobre as aventuras dos tropeiros cruzando com as manifestações culturais e as figuras folclóricas presentes no Vale do Paraíba, Vale Histórico e Serra da Mantiqueira. A partir das lendas que permeiam o rio Paraíba, de causos assombrosos e de histórias futuristas, o trabalho apresenta um jogo de imagens que vão se fundir em miragens, com bonecos que ganham vida aos olhos do espectador. Curioso? Você é nosso convidado para essa viagem poética pelo teatro lambe-lambe!

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Ficha técnica resumida:
“Miragens na Caixa” (PROAC)
Grupo Teatro do Imprevisto e Boneco Vivo.
Direção: Thiago Almeida
Manipulação: Ricardo Salem, Cibele Tomaz, Carolina Carol e Vivian Rau
Duração: 20min
Classificação: livre.

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Teatro de bonecos (teatro lambe-lambe) “Miragens na Caixa”

Sinopse: “Miragens na Caixa” é um projeto com foco no teatro de animação que traz em cena bonecos em miniaturas. Inspirada nos antigos fotógrafos lambe-lambe, a iniciativa traz espetáculos de curta-duração feitos em caixas, que geralmente são realizados em sessões com um espectador por vez. Serão contadas quatro histórias sobre as aventuras dos tropeiros cruzando com as manifestações culturais e as figuras folclóricas presentes no Vale do Paraíba, Vale Histórico e Serra da Mantiqueira. A partir das lendas que permeiam o rio Paraíba, de causos assombrosos e de histórias futuristas, o trabalho apresenta um jogo de imagens que vão se fundir em miragens, com bonecos que ganham vida aos olhos do espectador. Curioso? Você é nosso convidado para essa viagem poética pelo teatro lambe-lambe!

Ficha técnica resumida:
“Miragens na Caixa” (PROAC)
Grupo Teatro do Imprevisto e Boneco Vivo.
Direção: Thiago Almeida
Manipulação: Ricardo Salem, Cibele Tomaz, Carolina Carol e Vivian Rau
Duração: 20min
Classificação: livre.

Show musical “Fuá Caipira”

Sinopse: o show “Fuá Caipira” narra o contexto e trajetória cultural da região do Vale do Paraíba, fazendo um passeio por ritmos e manifestações rurais e culturais. Dentre elas estão a Folia de Reis, Calango, Cana Verde, Congada, Jongo, Moçambique, Carnaval de Marchinhas, a tradicional Quadrilha Caipira e outros. No repertório, canções autorais de Ari Pereira, diretor geral do espetáculo e fundador do Fuá Rabecado, grupo de pesquisa e reaproveitamento folclórico. O show reverência e fortalece os mestres, os grupos tradicionais e a identidade rural da região, da primeira à última canção. Além disso, traz à tona o lado festivo, alegre e humano do povo do Vale do Paraíba. Com direção musical de Marcio Oliveira, o Fuá Caipira é um show extremamente alegre, dançante e interativo, destinado a toda a família pela sua diversidade. O espetáculo se inicia em um cortejo de Folia de Reis e segue em um ritmo crescente, com o público aprendendo um pouco mais sobre cada manifestação. A palavra Fuá tem no Brasil vários significados, e os mais relevantes estão ligados a movimento, ação, festa, brincadeira, e isso traduz a essência do show: uma grande festa musical.

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Ficha técnica resumida:
Show musical “Fuá Caipira”
Grupo Fuá Rabecado.
Direção: Ari Pereira
Direção musical: Marcio de Oliveira
Músicos: Ari Pereira, Tania Reis, Paulo Russo, Moringa e Diego Prado
Duração: 70min
Classificação: livre

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Show musical “Fuá Caipira”

Sinopse: o show “Fuá Caipira” narra o contexto e trajetória cultural da região do Vale do Paraíba, fazendo um passeio por ritmos e manifestações rurais e culturais. Dentre elas estão a Folia de Reis, Calango, Cana Verde, Congada, Jongo, Moçambique, Carnaval de Marchinhas, a tradicional Quadrilha Caipira e outros. No repertório, canções autorais de Ari Pereira, diretor geral do espetáculo e fundador do Fuá Rabecado, grupo de pesquisa e reaproveitamento folclórico. O show reverência e fortalece os mestres, os grupos tradicionais e a identidade rural da região, da primeira à última canção. Além disso, traz à tona o lado festivo, alegre e humano do povo do Vale do Paraíba. Com direção musical de Marcio Oliveira, o Fuá Caipira é um show extremamente alegre, dançante e interativo, destinado a toda a família pela sua diversidade. O espetáculo se inicia em um cortejo de Folia de Reis e segue em um ritmo crescente, com o público aprendendo um pouco mais sobre cada manifestação. A palavra Fuá tem no Brasil vários significados, e os mais relevantes estão ligados a movimento, ação, festa, brincadeira, e isso traduz a essência do show: uma grande festa musical.

Ficha técnica resumida:
Show musical “Fuá Caipira”
Grupo Fuá Rabecado.
Direção: Ari Pereira
Direção musical: Marcio de Oliveira
Músicos: Ari Pereira, Tania Reis, Paulo Russo, Moringa e Diego Prado
Duração: 70min
Classificação: livre

Teatro em LIBRAS – “O Coelho e a Tartaruga e outras esquetes”

Sinopse: A Trupe Sentidos traz para a mostra uma das fábulas de seu repertório e esquetes que mais parecem crônicas teatrais do cotidiano. Além do pioneirismo de incluir a Língua Brasileira de Sinais em seus trabalhos, a trupe é capaz de provocar mais que boas gargalhadas com o humor sutil de suas criações: o que vemos em cena é um inesquecível e emocionante exemplo de inclusão e interação entre artistas surdos e ouvintes.cruzando com as manifestações culturais e as figuras folclóricas presentes no Vale do Paraíba, Vale Histórico e Serra da Mantiqueira. A partir das lendas que permeiam o rio Paraíba, de causos assombrosos e de histórias futuristas, o trabalho apresenta um jogo de imagens que vão se fundir em miragens, com bonecos que ganham vida aos olhos do espectador. Curioso? Você é nosso convidado para essa viagem poética pelo teatro lambe-lambe!

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Ficha técnica resumida:
“O Coelho e a Tartaruga e Outras Histórias”
Trupe Sentidos
Direção: Osni Henrique e Sílvia Soares
Elenco: Ana Beatriz Mathioli, Andreza Caroline da Silva, Carol Toledo, Diego Bernardo, Denis da Silva, Erivan da Silva, Osni Henrique, Pedro Henrique, Rosi Mathioli e Sílvia Soares.
Duração: 20 minutos (aprox).
Classificação: Livre

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Teatro em LIBRAS – “O Coelho e a Tartaruga e outras esquetes”

Sinopse: A Trupe Sentidos traz para a mostra uma das fábulas de seu repertório e esquetes que mais parecem crônicas teatrais do cotidiano. Além do pioneirismo de incluir a Língua Brasileira de Sinais em seus trabalhos, a trupe é capaz de provocar mais que boas gargalhadas com o humor sutil de suas criações: o que vemos em cena é um inesquecível e emocionante exemplo de inclusão e interação entre artistas surdos e ouvintes.cruzando com as manifestações culturais e as figuras folclóricas presentes no Vale do Paraíba, Vale Histórico e Serra da Mantiqueira. A partir das lendas que permeiam o rio Paraíba, de causos assombrosos e de histórias futuristas, o trabalho apresenta um jogo de imagens que vão se fundir em miragens, com bonecos que ganham vida aos olhos do espectador. Curioso? Você é nosso convidado para essa viagem poética pelo teatro lambe-lambe!

Ficha técnica resumida:
“O Coelho e a Tartaruga e Outras Histórias”
Trupe Sentidos
Direção: Osni Henrique e Sílvia Soares
Elenco: Ana Beatriz Mathioli, Andreza Caroline da Silva, Carol Toledo, Diego Bernardo, Denis da Silva, Erivan da Silva, Osni Henrique, Pedro Henrique, Rosi Mathioli e Sílvia Soares.
Duração: 20 minutos (aprox).
Classificação: Livre

Solo de palhaçaria “Birita Procura-se” – com Ariadne Antico

Sinopse: Birita é uma palhaça (d)eficiente que para (sobre)viver e pagar as contas, parte em busca de um emprego e desafia (seus) limites para exercer alguma função importante na sociedade. Ela, como qualquer mortal, tem metas, mas estará preparada para lidar com as frustrações que encontrará em seu caminho? Birita tem limitações reais ou impostas pela sociedade? Assim, através da palhaçaria, a peça aborda, de forma bem humorada, temas sobre a inclusão de pessoas com deficiência (PCD) no mercado de trabalho. Ariadne Antico, atriz e autora do espetáculo, tem 34 anos e sofreu uma paralisia cerebral que afetou sua fala e coordenação motora, dificultando sua inclusão social, principalmente em relação ao mercado de trabalho, tema que deu origem à peça.

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Ficha técnica resumida:
“Birita Procura-Se” – solo de palhaçaria
Casa das Lagartixas Teatro Clube
Direção: Ésio Magalhães.
Atuação: Ariadne Antico
Duração: 50min
Classificação: livre

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Solo de palhaçaria “Birita Procura-se” – com Ariadne Antico

Sinopse: Birita é uma palhaça (d)eficiente que para (sobre)viver e pagar as contas, parte em busca de um emprego e desafia (seus) limites para exercer alguma função importante na sociedade. Ela, como qualquer mortal, tem metas, mas estará preparada para lidar com as frustrações que encontrará em seu caminho? Birita tem limitações reais ou impostas pela sociedade? Assim, através da palhaçaria, a peça aborda, de forma bem humorada, temas sobre a inclusão de pessoas com deficiência (PCD) no mercado de trabalho. Ariadne Antico, atriz e autora do espetáculo, tem 34 anos e sofreu uma paralisia cerebral que afetou sua fala e coordenação motora, dificultando sua inclusão social, principalmente em relação ao mercado de trabalho, tema que deu origem à peça.

Ficha técnica resumida:
“Birita Procura-Se” – solo de palhaçaria
Casa das Lagartixas Teatro Clube
Direção: Ésio Magalhães.
Atuação: Ariadne Antico
Duração: 50min
Classificação: livre

Share This
Skip to content